La Collezionista Inverno 2015 – Chuva

_LN00679

Caindo sobre o grafite do asfalto ou em círculos concêntricos transformando-se em um lago, a elegância da chuva é sempre inspiradora. Seu brilho e reflexo prateados inspiraram a coleção número 0 da grife de calçados recém-lançada La Collezionista, retratados em tons metálicos, glitters e o molhado do verniz.

De personalidade observadora, curiosa e apaixonada por sapatos, a responsável da marca, Tânia Diotaiuti, assina a coleção de inverno “Chuva”. A designer trouxe para as peças, tecidos e materiais diferenciados, como as correntes lapidadas e peles italianas. “A coleção tem um apego muito grande a detalhes. Eu gosto de trabalhar muito o fundo do sapato e foquei muito nisto”, conta.

Do estilo clássico ao arrojado, os modelos ganharam diferentes composições de cores, que passam do preto, a gama do cinza, o perolizado branco, até o vermelho. Destaque para os prints exclusivos de mariposas, caprichosamente posicionadas, de forma a causar efeito de proximidade e afastamento.

De olho nas tendências dos anos 1960 e 1970, Tânia resgatou em seus sapatos as gaspeas mais altas, misturando-as com saltos geométricos, bem de vanguarda. Para realçar o brilho das peças, a artista investiu na pelica, tanto no cabedal, quanto no forro. Camurça, couro píton e suede foram alguns dos materiais utilizados na produção dos sapatos. Os componentes das peças são orgânicos e não possuem sintético. “O pé tem que respirar”, explica.

Uma coleção com movimento. É assim que pode-se definir “Chuva”, de La Collezionista. Folhas, raios, gotas, brilhos, reflexos, seja em sua construção, na sola ou no salto, marcam o estilo de design de Tânia. Tudo feito manualmente, como faziam os antigos sapateiros italianos. “É um processo artístico e artesanal, fazemos tudo ‘SEM PRESSA”, explica, fazendo referência ao lema da marca.