A “Natureza InVisível” de Solange Raso em exposição inédita no Museu Inimá de Paula

A explosão de cores em conjunto com a beleza da natureza são as bases para a série de pinturas, que a artista plástica mineira Solange Raso prepara para mostrar ao publico belo-horizontino em uma exposição no Museu Inimá de Paula (Rua da Bahia, 1201 – Centro), em Belo Horizonte (MG). Intitulada de “Natureza InVisível”, a mostra, que tem curadoria de Guiomar Lobato, poderá ser visitada entre os dias 30 de julho e 31 de agosto.

 solange_raso_MG_4733 

A natureza não está apenas na representação da fauna e flora, mas marca presença fortemente nas cores desta nova série da artista. Segundo Solange Raso, seu momento atual retrata um amadurecimento de seu processo artístico e de aprimoramento de técnicas. “Passei por algumas fases até chegar à exposição Invisível. No início da década de 2000, as telas eram em tons ocres. Foram mais de 50 paisagens do litoral brasileiro pintadas com espátula. Em seguida, veio a fase Portinari, em que fazia pinturas em tons de azul, inspiradas na obra do pintor brasileiro. Depois de um trabalho grande e complexo, mas muito prazeroso, de estudo das artes modernas e contemporâneas, entrei num processo de libertação em que consigo misturar realidade e abstração no mesmo trabalho para expressar minhas emoções”, conta Solange.

De acordo com a artista, é nesse clima que ela coloca sua visão singular, que vai do hiper-realismo ao abstrato transposto, característico da ilusão de ótica proporcionada pela própria natureza. O que a permite interpretar, a seu modo, imagens corriqueiras e habituais que definem a sua maneira de ver o mundo.

Preocupada com questões ambientais, Solange Raso descreve o fenômeno da vida e seus mecanismos. “Redesenho animais e flores numa visão fragmentada, cropada e individual, em estilo vibrante e alegre, com cores fortes e impactantes, mesmo quando trabalho apenas o preto e o branco. Sou despojada da estética clássica e tradicional e, por isso, tenho liberdade de atuação e busco incansavelmente o belo”, revela a artista, que se define como naturalista, mas sem a pretensão de pintar os elementos com extremo realismo. “Pintar para mim é um processo natural e é num realismo contemporâneo que a natureza é direta ou indiretamente meu principal objeto de inspiração. Minha pintura é a arte de representar o mundo natural, a arte de questionar o homem e seu inconsequente descaso pela natureza”, completa Solange Raso.

Para Guiomar Lobato, curadora da mostra, Solange Raso tem uma característica que não esta sendo fácil de achar entre os artistas, o de saber desenhar. “Fiquei impressionada com sua linha de desenho. Solange trabalha a cor intensa de uma maneira que não cansa e fica harmonioso. Quem visitar a exposição vai se impressionar também”, afirma.

Sobre a artista

Nascida no interior de Minas Gerais e vinda com poucos dias para a capital, Solange Raso sempre se considerou belo-horizontina. É matemática por formação e foi professora durante vários anos. Sentindo falta da poética inserida nas construções geométricas, abandonou o magistério e se entregou totalmente à pintura. Iniciou nas artes plásticas em 1996, na Escola Guignard, onde fez cursos livres de desenho, acrílico e óleo sobre tela. Fez cursos no Brasil, Canadá e Europa. A arte, que vinha de criança, envolta em criatividade e habilidade foi amadurecendo aos poucos. Passou por fases e vieram as pinturas abstratas, as figurativas, as homenagens a Portinari e chegaram às marinhas, que resultaram em uma grande exposição em Portugal. Possui trajetória significativa no cenário das artes plásticas mineiras, tendo participado de numerosas mostras coletivas e individuais no Brasil e no exterior.

 

SERVIÇO:
Exposição “”Natureza InVisível””, com obras de Solange Raso
Aberta ao público de 30/7 a 31/8/2014
Local: Museu Inimá de Paula – Rua da Bahia, 1201, Centro, Belo Horizonte (MG)
Informações: (31) 3213-4320