Projeções econômicas para 2017

A Benedita Comunicação ouviu o economista Clayton Calixto sobre as expectativas para o próximo ano e obteve dicas exclusivas para o empresário de moda

WhatsApp Image 2016-12-19 at 15.05.00

O governo federal anunciou na última semana um pacote de medidas para tentar aumentar a produtividade das empresas, desburocratizar procedimentos e estimular o nível de atividade na economia brasileira e a geração de empregos. Diante de um cenário econômico de incertezas, a Benedita Comunicação participou da palestra promovida pelo Instituto Amem em parceria com o Banco Santander, na qual o economista sênior da instituição, Clayton Calixto, falou sobre as projeções econômicas para 2017. 

Cenário político:

Segundo Calixto, fatores da política interna e externa atuam diretamente na economia brasileira. “O impacto da eleição de Donald Trump em uma economia emergente como a nossa se deve, principalmente, à queda da taxa e juros proposta pelo novo presidente. Com isso, o investidor vai preferir voltar-se para os EUA. No entanto, só iremos sentir os abalos dessa política protecionista a partir de 2018.”

No Brasil, o especialista acredita que a presidência sob o comando de Michel Temer gera uma perspectiva um pouco melhor no que diz respeito à confiabilidade do investidor. “Além disso, as reformas anunciadas são muito bem-vindas para controlar a dívida pública”, analisa.

2017

O economista afirma que o período de recessão sofrido pelo brasileiro foi superior ao dos tempos de governo Collor e, por isso, a recuperação será um pouco mais lenta, com a estabilização começando a partir do segundo trimestre do ano que vem. “O mercado acreditou na melhora da economia e da confiança em função do novo governo e pela retomada de investimentos externos. Porém, diagnósticos claros mostram que essa recuperação virá a partir da desalavancagem das empresas e das famílias, feita por meio do pacote de medidas anunciado pelo governo”, afirma Calixto.

http://www2.planalto.gov.br/acompanhe-planalto/noticias/2016/12/conheca-as-10-medidas-para-retomar-o-crescimento-no-brasil

 

Dicas do especialista:

Em uma conversa exclusiva, Clayton Calixto contou à Benedita Comunicação o que o confeccionista deve fazer para ter uma boa recuperação em 2017 e se preparar para as taxas mais robustas do PIB em 2018:

1 – Tentar substituir a importação de tecidos e insumos por produtos domésticos, amenizando os custos com câmbio.

2 – Nos casos em que a empresa depende da importação, o ideal é fazer a proteção cambial comprando dólar com antecedência.

3 – Outra dica é tentar se programar junto a outros empresários em forma de cooperativa para realizar as importações em volumes maiores e, assim, negociar melhores preços e condições de pagamento.

4 – Como a forte retomada da economia virá mais para o fim de 2017, o empresário deverá se antecipar recuperando a produção e estoque. Assim, ele estará preparado para o retorno do poder de compra do brasileiro. Quem não o fizer pode ser atropelado por quem investiu.