CAPE PROMOVE “RESSAQUINHA DE CARNAVAL” NA PAMPULHA

Diz a sabedoria popular, que o ano só começa após o Carnaval. Porém, depois de dias intensos de muita festa, sempre fica aquela nostalgia, em adultos e crianças, e a vontade ter mais alguns dias de folia. Pensando em preencher essa lacuna deixada pela festa mais popular do país, a Casa de Acolhida Padre Eustáquio (CAPE) vai promover no dia 24 de fevereiro a sua “Ressaquinha de Carnaval”.

Os mais saudosos dos confetes e serpentinas poderão se divertir com rua de lazer, brincadeiras, barraquinhas de alimentação e food trucks, DJ e a bateria do bloco Padecendo no Paraíso. O evento acontece das 10h às 15h na Alameda das Latânias, entre a Alameda do Ipê Branco e Av. Santa Rosa, no bairro São Luiz, na região da Pampulha.  A entrada é gratuita, mas há uma contribuição voluntária de 1 kg de alimento não-perecível ou R$ 5 (cinco reais). Parte da renda obtida com o evento será revertida para a casa, que promove ações de enfrentamento ao câncer infantil e outras doenças não infecciosas.

SOBRE A CAPE

Criada em 2013 pelo empresário José Marcílio Nunes, a Casa de Acolhida Padre Eustáquio (CAPE) recebe crianças e adolescentes em tratamento de câncer encaminhadas por meio dos hospitais de Belo Horizonte. Os pacientes vêm de cidades do interior do estado de Minas Gerais e precisam de suporte no momento em que estão longe de casa e fragilizados pela doença. Com acolhimento humanizado e individualizado, a CAPE atende atualmente cerca de 180 crianças.  Os acolhidos recebem cinco refeições diárias, além de diversos atendimentos, como psicológico, social, fisioterapia, nutricionista e acupuntura. A casa, que recebe crianças e suas famílias de 166 cidades de Minas Gerais, conta ainda com brinquedoteca, biblioteca, auditório e capela. São promovidas atividades recreativas, que visam justamente dar o amparo e condições para que todos tenham a possibilidade de enfrentar o momento delicado do tratamento com mais conforto e suavidade.