Exposição no Monte Carmo Shopping retrata a mulher pelo olhar do francês Amedeo Modigliani

universofeminino

Pinturas expressionistas e com uso peculiar da cor feitas pelo artista Mauro Proença Júnior estão disponíveis para visitação desde o dia 11 no Monte Carmo Shopping. Chamada “Universo Feminino”, a exibição tem como objetivo retratar a mulher à maneira do francês Amedeo Modigliani, ao qual ele homenageia com as telas. “A inspiração para o trabalho foi em como Modigliani retrata a feminilidade, mas com uma interpretação minha, usando a criatividade”, explica.

O artista se baseia em grandes nomes para a criação de suas obras, mas afirma não deixar sua personalidade de lado durante a composição de cada uma de suas peças.  Atualmente seus quadros estão expostos no espaço cultural da Casa dos Contos, em Belo Horizonte. A curadoria da mostra é de Fátima Miranda.

“O Monte Carmo Shopping tem como um de seus objetivos a valorização da arte e cultura locais e é sempre uma honra oferecer espaço para quem quer expor seus talentos”, pontua a gerente de marketing do mall, Maíra Santos. Os quadros ficam no 2º piso até o dia 11 de junho.

SERVIÇO:

Exposição “UNIVERSO FEMININO”

Data: 11 de maio a 11 de junho

Telefone: (31) 3117 1511

Horário de funcionamento: Segunda a sábado, de 10h às 22h; domingo, 12h às 22h

Site: www.montecarmoshopping.com.br

Facebook: fb.com/montecarmoshopping

Exposição Enamorados chega pela segunda vez com novas peças ao Monte Carmo Shopping

Esession-177

Reforçar a importância do amor de forma alegre e leve. É com esse objetivo que a fotógrafa Érica Lopes traz uma nova seleção das peças mais românticas de seu acervo profissional para os corredores do Monte Carmo Shopping. A primeira edição, realizada há dois anos, foi um sucesso e volta com registros ainda mais apaixonados.

Em “Enamorados”, oito cliques foram selecionados para mostrar que o amor deve ser pensado de forma que vai muito além do tradicional, com altar igrejas e afins, mas sim em situações espontâneas e cotidianas. Pela segunda vez expondo o tema no mall, a fotógrafa disponibiliza suas peças para visitação a partir do dia 19 de maio. As visitas podem ser feitas até o dia 19 de junho, após o Dia dos Namorados.

Pelo olhar da fotógrafa, cada um dos registros expostos guarda sentimentos presentes na intimidade dos casais, o que faz com o que os visitantes consigam perceber “aquela atmosfera de sonho que só o amor traz”, como ela mesma pontua.

Para a gerente de marketing do mall, Maíra Santos, a mostra é uma oportunidade para repensar o afeto. “Celebrar o amor é sempre muito importante e a Érica compartilha com os betinenses seu olhar sensível e preciso, com imagens que mostram a expressão real desse sentimento”, pontua.

SERVIÇO:

Exposição “ENAMORADOS”

Data: 19 de maio a 19 de junho

Telefone: (31) 3117 1511

Horário de funcionamento: Segunda a sábado, de 10h às 22h; domingo, 12h às 22h

Site: www.montecarmoshopping.com.br

Facebook: fb.com/montecarmoshopping

Monte Carmo Shopping recebe 3º encontro de carros antigos

Opalas no MOnte Carmo Shopping - Credito Maira Santos  (2)

Os admiradores de carros antigos têm um compromisso marcado no Monte Carmo Shopping no dia 29 de maio, das 11h às 16h. Trata-se da terceira edição do Encontro de Carros Antigos, realizado pelo grupo Forasteiros de Betim. Em agosto do ano passado, o evento reuniu centenas de interessados no assunto.

Estarão no encontro 150 automóveis com ano de fabricação anterior a 1992. O público presente poderá participar de diversos sorteios e distribuição de brindes, como canecas e camisetas. Antes da ocasião, dez veículos serão expostos no shopping a partir do dia 20 de maio, como prévia do evento. A exposição fica disponível para visitação gratuita durante todo o horário de funcionamento do mall. “É uma excelente oportunidade de reunir admiradores dessas verdadeiras relíquias e o Monte Carmo se orgulha em ser, mais uma vez, parceiro dessa proposta”, afirma a gerente de marketing, Maíra Santos.

SOBRE O FORASTEIROS DE BETIM

Antigo Betim Opala Clube, o grupo foi criado em 23 de fevereiro de 2014, com o objetivo de reunir pessoas que possuam ou admiram Opalas e demais relíquias para promover eventos e proporcionar momentos de alegria e descontração a seus membros. Os encontros realizados pelo clube possibilitam a troca de informações sobre peças e acessórios, diferenças entre modelos, anos de fabricação, restaurações e muito mais.

3ª EDIÇÃO DO ENCONTRO DE CARROS ANTIGOS

Local: Estacionamento externo do Monte Carmo Shopping

Data da exposição: a partir de 20 de maio, até o dia do evento.

Data do encontro: 29 de Maio, de 11h às 16h.

MONTE CARMO SHOPPING 

Av. Juiz Marco Túlio Isaac, 1119, Ingá Alto – Betim / MG
Telefone: (31) 3117-1511

Horário de funcionamento: Segunda a sábado, de 10h às 22h; domingo, 12h às 22h

Site: www.montecarmoshopping.com.br

Facebook: fb.com/montecarmoshopping

Museu Inimá de Paula expõe obras de alunos de escolas públicas e privadas

David Loureiro - Desmemórias

Entre os dias 17 de julho e 16 de agosto, o Museu Inimá de Paula recebe a exposição “Traço”. Serão exibidas as obras dos arte-educadores Alexandre Tavera, Brunna Fradde, David Loureiro, Eduardo de Lapouble, Izabela Lima e Samuel Wenceslau, responsáveis por receber, diariamente, crianças para visitas orientadas pelo local.

A seleção de obras a ser apresentada abrange formas diversificadas de pensar a arte, ressaltando sua pluralidade. Estarão expostos trabalhos em fotografia digital, aquarela, gravuras em metal, grafite sobre MDF e instalação – que amplia a noção cultural para diferentes contextos, meios e linguagens. A mostra tem como objetivo retratar a prática do trabalho bruto desenvolvido na faculdade de artes plásticas e artes visuais, com a experiência de ensinar. O artista, enquanto vivo, sempre evidenciou sua vontade de ter um espaço destinado ao incentivo de novos artistas.

Em setembro, será a vez de mostrar uma compilação dos melhores trabalhos feitos pelos alunos do Criança no Museu. Patrocinado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, Banco Itaú e Milplan, o projeto educacional oferece ações educativas, desde 2010, para grupos de escolas públicas e privadas. Ao todo, mais de 45 mil crianças já visitaram o local. As oficinas de artes serão baseadas nas obras do Inimá de Paula e nos próprios trabalhos dos arte-educadores.

O Projeto Arte Educação

A Arte não é só para “gente grande”. Ela auxilia na formação da personalidade de crianças e adolescentes, oferecendo ferramentas para compreender a pluralidade da sociedade e expressar-se. Ciente dos benefícios desse contato, o Museu Inimá de Paula oferece visitas orientadas e oficinas gratuitas, pré-agendadas, de terça-feira a sexta-feira, para turmas de estudantes interessados em conhecer mais sobre o acervo e exposições itinerantes.

No dia da visita, os grupos de até 50 pessoas são recebidos por dois arte-educadores que os orientará durante todo o percurso com duração aproximada de uma hora. Eles serão os mediadores responsáveis por conduzi-los pelo espaço expositivo, apresentando as obras, os temas devidamente propostos e as possibilidades artísticas presentes.

Além de disponibilizar material didático educativo para o professor responsável, para preparações de aulas e projetos, o Museu oferece transporte – mediante agendamento prévio e lanche gratuitos. Após a excursão, os jovens recebem um kit de arte (composto por régua, lápis borracha, caixa de lápis de cor, apontador e bloco de anotações).

Para atender as demandas das diversas escolas da região, a instituição oferece turnos diferenciados. Os horários de 9h e 10h são disponibilizados às terças, quartas e sextas. Na parte da tarde, estão disponíveis os turnos da 14h e 15h30, de terça a sexta, e para visitas do EJA, quintas-feiras, às 19h.

A idade mínima é quatro anos. O agendamento pode ser feito pelo número (31) 3213-4320 ou pelo e-maileducativo@museuinimadepaula.org.br. As instituições de ensino devem enviar dois acompanhantes, além de apresentar a declaração de visita devidamente preenchida.

Pejo/Desejo/Pejo, de Alê Brandão, aborda o mundo do consumo em fotografias e instalações

Exposição, que tem entrada gratuita, estará em cartaz no Museu Inimá de Paula

alejordao_2

Pinturas, fotografias, instalações e gravuras se misturam entre a cultura de rua e as artes visuais contemporâneas, no novo trabalho do badalado artista paulista Alê Jordão. Denominada de Pejo/Desejo/Pejo, a exposição estará em cartaz no salão principal do Museu Inimá de Paula, de 17 de julho a 18 de agosto. Com curadoria de Marcelo Vasconcelos e Walton Hoffmann, o artista faz um apanhado de suas recentes mostras bem sucedidas, agregando várias composições inéditas. “A surpresa é um vértice importante nas composições de Alê”, garante Hoffmann.

Na série “Paixão e Compulsão”, Alê Jordão faz um discurso crítico-conceitual sobre o consumismo, expondo em fotografias reproduções em grande escala de tíquetes de compras e notas fiscais, em geral, de transações de altos valores na aquisição de objetos de luxo. A partir de sua própria coleção, com mais de dois mil pares de sneakers, ele criou um “tapetão de tênis”, como define, com mais de 300 modelos expostos.  “Tem pessoas que compram algo caro para se exibir e tem aqueles que escondem o que compram. O que a pessoa está vestindo é o quanto ela vale naquele momento”, explica o artista.

Jordão tem como principal fonte de inspiração a vida cosmopolita. Gula, sexo, jogos, drogas e outros vícios que permeiam a vida moderna também são ratificados na mostra. “Eu faço parte desse consumismo e é ele que me leva à minha arte. Se me mandarem criar em uma fazenda, por exemplo, não vou conseguir. Esse trabalho vem do meu estilo de vida”, conta.

Fragmentos da mostra “Spectrum”, também estarão presentes em Pejo/Desejo/Pejo. O artista se apropriou do carro twingo, do jornalista Ricardo Boechat para criar instalações, também em grandes escalas, de luzes e sombras. Uma das peças icônicas da exposição é o skate feito de metal, com partes do carro, que acompanha o artista em várias exposições. “Uso o universo abstrato, mas o conteúdo é forte. Quero chegar justamente ao lugar onde se falam em sentimentos e sensações”, diz.

O pejo, aquela pequena vergonha que sentimos de algo moralmente errado, chamou a atenção dos curadores da exposição. Marcelo Vasconcelos destaca que o artista está acima da média daqueles formados na nova geração. Segundo Walton Hoffmann, Alê consegue abordar temas emblemáticos, de forma incisiva e suave. “Uma vez, o Iberê Carmargo (pintor brasileiro) me disse que se um artista tem medo, ele não sai do lugar. O Alê tem coragem e uma profunda eficiência na arte, desde a pintura até a instalação. Tudo que ele faz de experimento tem um valor arrojado e muito frescor”, pontua Hoffmann.

SOBRE O ARTISTA

Alê Jordão nasceu e vive em São Paulo. Estudou na FAAP na segunda metade dos anos 1990, com Sandra Cinto, Dora Longo Bahia, Paulo Pasta, Felipe Chaimovich, Edu Brandão, Carmela Gross, Regina Silveira e Nelson Leirner. Complementou seus estudos na Domus, em Milão, escola originária da experiência da arquitetura pós-moderna italiana dos anos 1970 e 1980. Participou por sete anos consecutivos da Casa Cor de São Paulo e expôs em galerias em Bruxelas, Paris, Milão, Nova York, Miami, Los Angeles, Ibiza, além da Casa Cor Europeia, em Estocolmo, e na Bienal de Roma, no qual foi premiado, em 2014, com o trabalho “No chair”.

SERVIÇO

PEJO/DESEJO/PEJO, DE ALÊ JORDÃO

Data: 17 de julho a 18 de agosto.

Local: Museu Inimá de Paula (Rua da Bahia, 1201 – Centro).
Horários: terça, quarta, sexta e sábado: 10h às 18h30;
Quinta: 12h às 20h30;
Domingo: 12h às 18h30;
Informações: (31) 3213-4320

ENTRADA GRATUITA.

Premiada aquarelista expõe obras inéditas no Museu Inimá de Paula

Elisiana Alves apresenta “A Cor da Alma”, de 10 de junho a 30 de julho

andorinhas (2)

O Museu Inimá de Paula recebe, de 10 de junho a 30 de julho, a exposição “A Cor da Alma”, da aquarelista Elisiana Alves. Natural de Mortugaba (BA), a artista, que reside desde 1989 em Taiobeiras (MG), retrata paisagens que compõem o seu matiz temporal, com um sotaque plural e poético.

Com curadoria de Guiomar Lobato, a mostra traz mais de 100 obras feitas por Elisiana nos últimos dois anos. No contexto, a artista procura imprimir a identidade do interior brasileiro com pinturas de árvores, lavadeiras, crianças e pássaros do cerrado. Os quadros de andorinhas correspondem a sua inesquecível obra “A dor da perda”, premiada na 10ª Bienal Internacional de Arte de Roma. “A exposição foi decidida quando eu vi essa série de quadros. São impressionantes. A Elisiana foge do usual em sua arte. Possui muito domínio de técnica e expressão forte”, conta Guiomar.

Tendo a aquarela como seu principal meio de expressão, a artista complementa suas obras com óleo, acrílico e o pastel, mantendo traços etnográficos. “É uma técnica complexa, difícil. É como se a Elisiana explorasse o Brasil com suas transparências. Não é uma visão urbana, são múltiplos planos que sobrepõem a existência dos brasileiros”, conta o produtor da exposição Eduardo Nery.

A escolha do nome de todo esse trabalho foi diretamente ligado a sua inspiração: aquilo que o ser humano tem de mais íntimo. “Na alma estão impressas todas as nossas frustrações, anseios, orgulhos e prazeres. Podemos falar e fazer coisas para nós e para o mundo, mas para a alma apenas somos; sem discursos ou desculpas. Ela é assim, absoluta”, diz a artista.

Sobre a artista

Elisiana Alves é artista plástica autodidata, e administradora por formação. Especializou-se com grandes mestres da pintura e da cerâmica, como o brasileiro Mario Bhering, o espanhol Vicenz Ballestar e o chinês Duan Guan Zhi. Dos dias de cursos na China, Elisiana carrega até hoje muitos traços da cultura oriental; suas viagens pelo mundo funcionam como laboratório para a sua arte. Transita entre os meios e estilos. Dá ao mundo o tom que ela quer, realça e minimiza conforme a sua percepção. Em seu currículo traz exposições em New York, Miami, México e em Florença e Roma. No Brasil suas obras estiveram no Banco Central, Câmara dos Deputados e em galerias e leilões de arte em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo.

Elisiana desenvolve em paralelo á sua carreira como artista, o trabalho como consultora realizando planos e projetos de desenvolvimento sustentável em todo o país.

Sobre o museu

O MUSEU INIMÁ DE PAULA, inaugurado em 2008 reúne em Belo Horizonte um acervo permanente dedicado ao pintor Inimá, traçando um panorama completo de sua vida e obra. São  expostas cerca de 80 obras do artista em constante rodízio, acompanhadas da remontagem de seu Atelier, Sala de Autorretratos e Galeria Virtual.

O espaço tem como objetivo não somente servir à divulgação da vida e obra do artista, mas também o de abrigar eventos culturais em geral, caracterizando-se com um local aberto a exposições de artistas, seminários, cursos, workshops e outros eventos afins. São mais de 3 mil metros quadrados totalmente restaurados e remodelados com tecnologia de ponta em segurança, iluminação, e recursos visuais únicos, que torna o Museu Inimá de Paula um pólo emissor cultural ativo e dinâmico.

O setor educativo do Museu Inimá de Paula é mantido através da Lei Federal de Incentivo a Cultura. Para esta exposição são disponibilizados quatro horários diários para visitas orientadas com arte educadores e entrega de kits. O agendamento é feito pelo (31) 3213-4320 ou educativo@museuinimadepaula.org.br.

SERVIÇO:

A COR DA ALMA – ELISIANA ALVES

Coquetel: 10 de junho, às 18h30.

Data: 10 de junho a 30 de julho.
Local: Museu Inimá de Paula (Rua da Bahia, 1201 – Centro).
Horários: terça, quarta, sexta e sábado: 10h às 18h30;
Quinta: 12h às 20h30;
Domingo: 12h às 18h30;
Informações: (31) 3213-4320

ENTRADA GRATUITA.

Última semana para conferir a exposição “Trajetórias”, no Inimá de Paula

IMG_2851-2

Ainda dá tempo de visitar a exposição “Trajetórias”, em cartaz no Museu Inimá de Paula. Com curadoria de Sandra Mimoto Torres, a mostra das artistas Marinella Uxa e Valdelice Neves chega ao fim no dia 31 de maio. Com a natureza como mote, a mostra aborda a id​e​ia quântica do universo, onde os elementos primordiais, como água, ar, fogo e terra, estão presentes e muito ligados ​à​ humanidade.

O trabalho multidisciplinar de Valdelice, expresso em esculturas, pinturas, vídeo, fotomontagem e literatura, não só instiga o interlocutor, como o transporta para o ambiente amazônico. São ​obras de ninhos, casas de marimbondos flecheiros, sons da floresta amazônica, tramas urdidas na mata e muitos objetos de cores exuberantes. A pesquisa sobre o pássaro João-Congo, realizada em mais de 30 anos, apresenta, ainda, depoimentos em vídeo das populações ribeirinhas da ​região​ Amazônica, relatando os problemas ​causados pelo desmatamento​, além de apelos comoventes para a preservação da natureza. Já o trabalho de Marinella é apresentado em suas várias fases de produção. Os quadros tridimensionais da série​”​Mutações Interativas – Aliens​”​, tem um impacto visual extremo, representando nossos demônios interiores. Na série ​”​Efervescência​”, as esferas são as próprias células da vida, com desenhos que ​mesclam padrões renascentistas e indígenas. Seu elaborado sistema de arte gráfica retrata, em desenhos geométricos, os elementos da natureza e a representação de seres sobrenaturais ou elementos simbólicos.

A exposição está aberta de terça à sábado, das 10h às 18h30, quinta-feira, das 12h às 20h30 e domingo, das 12h às 18h30. A entrada é gratuita.

Museu Inimá de Paula na ArtBH

Museu Inim‡ de Paula. Exposi‹o æxodos de Sebasti‹o Salgado. Fotos de Gualter Naves

O Museu Inimá de Paula marca presença na primeira edição da feira de arte moderna e contemporânea, a ArtBH. O evento, que acontece entre os dias 23 a 26 de maio, no Minascentro, irá reunir cerca de 30 das melhores galerias do País.

Com uma média de quatro mil visitantes por mês, o Museu é conhecido internacionalmente por ser precursor do trabalho do consagrado artista mineiro. Atualmente, conta com 200 obras de Inimá expostas e em reserva técnica, além de mais de 500 livros adquiridos pelo artista ao logo de sua vida, e 300 objetos de uso pessoal, como pincéis, espátulas, câmeras, giz, dentre outros.

Augusto Fonseca apresenta “Walk me Home”, no Museu Inimá de Paula

Exposição ficará em cartaz de 23 de abril a 25 de maio

walk like an egyptian- acrilica sobre tela- 155 x 190cm- 2014- Augusto Fonseca

Os anos 1980 foram marcantes em acontecimentos políticos, sociais e culturais. Ideologias se perderam, barreiras caíram. A era industrial começava a dar lugar à era da informação. O mundo se tornou mais conectado. Essa década, algumas vezes chamada de “década perdida”, é tema do recente processo de criação de objetos e pinturas de Augusto Fonseca. Todo o trabalho do artista pode ser conferido na exposição “Walk me Home”, em cartaz no Museu Inimá de Paula, de 23 de abril a 25 de maio.

Vários elementos que fazem parte do imaginário coletivo, ligados a cultura pop, estão presentes na exposição. Os trabalhos de Augusto transportam para um passado não muito longínquo, como uma espécie de cápsula do tempo. Objetos da época são colocados e transformados em grandes comprimidos para memória, nos refrescando de possíveis amnésias provocadas pela profusão de informações do mundo contemporâneo.

Todo o processo de criação e produção das peças da exposição aconteceu em 2014. Ao todo, Augusto ficou um ano trabalhando entre pesquisas de objetos, pinturas e contextos. A ideia do tema surgiu através de um gosto pessoal do artista. “Acho que os anos 1980 tem uma temática pouco explorada nas artes plásticas. É uma paixão que tenho, sou fissurado pelo exagero da época. Então quis trabalhar sobre estas questões agora”, explica.

O trabalho, que varia entre a critica ao humor, se caracteriza, ainda, pela mistura de gêneros, como a música e o cinema. “Fui uma criança nos anos 1980. A criação do trabalho foi inspirada em afetividades que guardo desta época, repleta de personagens, personalidades e acontecimentos importantes e que fazem parte da minha formação e também de um imaginário coletivo”, diz o artista.

O artista

Augusto Fonseca é artista plástico, formado pela escola de Belas Artes da UFMG e trabalha no setor de Artes Visuais do Museu de Arte da Pampulha. Realizou diversas exposições, dentre elas: “O Falso Espelho” – Centro de Cultura SESI Mariana (2014), “Quando Penso Ter Razão” – Galeria de Arte do BDMG Cultural (2013), Jornada Solidária Estado de Minas – Museu de Artes e Ofícios – MAO (2011), “Pequeno panorama em pequenos formatos. Reflexões sobre a Pintura” – Quina Galeria (2010), “Outras Cidades Invisíveis” Galeria de arte da CEMIG (2009) e 9° Salão de Artes Visuais de Guarulhos (2009). Participou de variados projetos culturais pela Fundação Municipal de Cultura, como a comissão de seleção do programa 5º Bolsa Pampulha, comissão de organização do programa Cenamusica 2013, além de desenvolver, produzir e executar projetos expositivos e eventos relacionados à área de artes visuais do Museu de Arte da Pampulha.

Sobre o museu

O MUSEU INIMÁ DE PAULA, inaugurado em 2008 reúne em Belo Horizonte um acervo permanente dedicado ao pintor Inimá, traçando um panorama completo de sua vida e obra. São  expostas cerca de 80 obras do artista em constante rodízio, acompanhadas da remontagem de seu Atelier, Sala de Autorretratos e Galeria Virtual.

O espaço tem como objetivo não somente servir à divulgação da vida e obra do artista, mas também o de abrigar eventos culturais em geral, caracterizando-se com um local aberto a exposições de artistas, seminários, cursos, workshops e outros eventos afins. São mais de 3 mil metros quadrados totalmente restaurados e remodelados com tecnologia de ponta em segurança, iluminação, e recursos visuais únicos, que torna o Museu Inimá de Paula um pólo emissor cultural ativo e dinâmico.

O setor educativo do Museu Inimá de Paula é mantido através da Lei Federal de Incentivo a Cultura. Para esta exposição são disponibilizados quatro horários diários para visitas orientadas com arte educadores e entrega de kits. O agendamento é feito pelo (31) 3213- 4320 ou educativo@museuinimadepaula.org.br.

SERVIÇO:

WALK ME HOME – AUGUSTO FONSECA

Data: 23 de abril a 25 de maio.

Local: Museu Inimá de Paula (Rua da Bahia, 1201 –

Horários: terça, quarta, sexta e sábado: 10h às 18h30;

Quinta: 12h às 20h30;

Domingo: 12h às 18h30;

Informações: (31) 3213-4320

ENTRADA GRATUITA.