Entrar em contato com as artes desde cedo é fundamental para o aprendizado escolar, aponta estudo

Projeto educativo do Museu Inimá de Paula contribui para a educação e inclusão social através da cultura

BRAZIL- MINAS GERAIS - BELO HORIZONTE- Works by Brazilian photographer Gualter Naves. Visita escolar ao Museu Inim‡. Exposi‹o Hotel Esplendido e Incurs›es. .

Uma pesquisa feita pelo Crystal Bridges Museum of American Art, nos Estados Unidos, com 11 mil estudantes e 500 professores, constatou que jovens que mantém interesse pelas artes e cultura, apresentam mais tolerância, desenvolvimento de pensamento mais rápido e facilidade para desenvolver mais habilidades.

Desde muito cedo, tudo vira objeto de investigação nas mãos dos pequenos. Por isso, é fundamental estimular a experimentação da arte nessa fase, levando-os a museus, parques, exposições e galerias. Crianças interessadas em coleções, histórias, arte e cultura têm grandes chances de tornarem-se adultos mais sensíveis e com maior senso critico. Pensando nisso, o Museu Inimá de Paula desenvolveu o projeto Arte Educação, em que oferece visitas guiadas e oficinas para turmas de estudantes.

Apoiado pela Lei de Incentivo a Cultura (Lei Rouanet) e com patrocínio do Banco Itaú, o projeto foi criado em 2010 e já recebeu mais de 45 mil alunos de escolas públicas e privadas.

Antes do passeio, o museu disponibiliza para o professor um material didático educativo, para que a preparação das aulas e projetos aplicados aconteça da melhor forma. No dia da visita, os grupos de até 50 pessoas são recebidos por um arte-educador que os orienta durante todo o percurso. Para as crianças, a história do artista Inimá de Paula é contada por duas atrizes de teatro, facilitando a compreensão dos alunos menores.

O Projeto oferece transporte às escolas e grupos carentes (municipais, estaduais e federais). As visitas com transporte são para, no máximo, 45 alunos por vez, respeitando os limites de segurança e capacidade do ônibus. Todos os alunos recebem lanche gratuito. Após a excursão, os jovens recebem um kit de arte (composto por régua, lápis, borracha, caixa de lápis de cor, apontador, bloco de anotações).

Para atender as demandas das diversas escolas da região, a instituição oferece turnos diferenciados. Os horários de 09h e 10h são disponibilizados às terças, quartas e sextas. Na parte da tarde, estão disponíveis os turnos da 14h e 15h30, de terça a sexta. A única opção noturna é na quinta-feira, às 19h.

A idade mínima é quatro anos. As instituições de ensino devem enviar dois acompanhantes, além de apresentar a declaração de visita devidamente preenchida.

Última semana para conferir a exposição “Trajetórias”, no Inimá de Paula

IMG_2851-2

Ainda dá tempo de visitar a exposição “Trajetórias”, em cartaz no Museu Inimá de Paula. Com curadoria de Sandra Mimoto Torres, a mostra das artistas Marinella Uxa e Valdelice Neves chega ao fim no dia 31 de maio. Com a natureza como mote, a mostra aborda a id​e​ia quântica do universo, onde os elementos primordiais, como água, ar, fogo e terra, estão presentes e muito ligados ​à​ humanidade.

O trabalho multidisciplinar de Valdelice, expresso em esculturas, pinturas, vídeo, fotomontagem e literatura, não só instiga o interlocutor, como o transporta para o ambiente amazônico. São ​obras de ninhos, casas de marimbondos flecheiros, sons da floresta amazônica, tramas urdidas na mata e muitos objetos de cores exuberantes. A pesquisa sobre o pássaro João-Congo, realizada em mais de 30 anos, apresenta, ainda, depoimentos em vídeo das populações ribeirinhas da ​região​ Amazônica, relatando os problemas ​causados pelo desmatamento​, além de apelos comoventes para a preservação da natureza. Já o trabalho de Marinella é apresentado em suas várias fases de produção. Os quadros tridimensionais da série​”​Mutações Interativas – Aliens​”​, tem um impacto visual extremo, representando nossos demônios interiores. Na série ​”​Efervescência​”, as esferas são as próprias células da vida, com desenhos que ​mesclam padrões renascentistas e indígenas. Seu elaborado sistema de arte gráfica retrata, em desenhos geométricos, os elementos da natureza e a representação de seres sobrenaturais ou elementos simbólicos.

A exposição está aberta de terça à sábado, das 10h às 18h30, quinta-feira, das 12h às 20h30 e domingo, das 12h às 18h30. A entrada é gratuita.